O regresso do futebol de Paulo Bento

Francisco Santos Ferro, 29 de Novembro de 2010 7:00

Ontem, no empate em casa com o líder Porto, voltámos a ver um Sporting que foi imagem de marca do reinado de Paulo Bento.

Equipa montada num confuso 4-4-2, com os obrigatórios dois avançados da era anterior, com o meio-campo de distribuição algo confusa, com quatros médios centro, sem alas.

Inexistente capacidade de criação de jogo ofensivo em apoio. A opção, por incapacidade ou não, foi outra. Transições rapidíssimas, jogo directo, jogo de luta.

Não é este o modelo de jogo de uma equipa grande, nem deveria nunca ser este o modelo de jogo do Sporting. Não o é nas camadas jovens, quase nunca o é nas equipas grandes e vencedoras.

A forma de jogar foi o de uma equipa pequena, ao passo que o modelo de jogo do nosso adversário de ontem foi o oposto.

Por outro lado, a atitude da equipa foi enorme, disputando cada lance como se fosse o último. Atitude guerreira, fundamental para termos conseguido não deixar o adversário construir. Igualmente voltou o jogo directo, de Polga para Liedson. Liedson que esteve em bom nível, com este estilo de jogo.

Foi esta, durante quatro anos, a imagem de marca do futebol do Sporting. Na minha opinião, com resultados entre o fraco e o mediano, e com consequências desatrosas ao nível da desmobilização da massa adepta, da fraca evolução de vários jovens jogadores, da exigência dos Sportinguistas para com a sua equipa, e pior, para com o seu Clube.

Ontem perdemos dois pontos. Foi portanto um mau resultado. E é esta a mentalidade que qualquer Sportinguista, sócio, adepto, dirigente ou funcionário deve ter quando se fala do Sporting Clube de Portugal.

Em casa é para ganhar, sempre e seja com quem for.

Saudações Leoninas

7 Responses to “O regresso do futebol de Paulo Bento”

  1. Sergio diz:

    Onde é que viste o 4-4-2? Se nem viste que jogámos em 4-3-3, não me parece que se possa ter muito em conta a tua análise.
    Jogámos com um meio campo em tríângulo invertido, com Pedro Mendes a trinco e Maniche e André Santos como interiores. Depois jogámos com um trio de ataque com Liedson no meio e os apoios de de Postiga a descaír para a esquerda e Valdés para a direita. Não jogámos de facto com extremos, mas com jogadores que caíam nas alas (mais o Valdés que o Postiga, dado que este esteve muito apagado, pareceu-me que estava muito limitado fisicamente).

    Sendo assim, não percebo onde esteve o 4-4-2. Além disso também não vejo o problema do 4-4-2. Mas o futebol é sempre dificil de analisar de fora… Para mim antes do jogo, teria apostado no trio de ataque com Postiga, Valdés e Vukcevic, mas depois do jogo, até acho que o Liedson foi o melhor do ataque. Ou seja, só quem lá está dentro pode perceber melhor o momento de cada jogador e o que será para a equipa.

    Resumindo: o nosso treinador não é o melhor do mundo, discordo de muitas opções, principalmente durante o jogo. Mas parece-me um bom treinador e que sem milagres, tem feito melhorar o futebol da equipa a pouco e pouco. Acho que chega de mandar o treinador abaixo.

  2. Francisco Santos Ferro diz:

    Caro Sérgio,

    jogámos com quatro médios centro e dois pontas de lança.

    Se pelo facto de um ou outro “descaía” mais para uma ala, considerar que isso é jogar em 4-3-3… Dizer que se jogou em 4-3-3 sem extremos é pouco menos que uma aberração.

    Mas de facto, e como refere e bem, o problema não é o esquema táctico, mas tudo o resto. Qualquer esquema pode ser bom, desde que bem interpretado.

    Resumindo: temos 5 vitórias em 12 jogos. Se o nosso treinador é, na sua opinião, um “bom treinador”, então o Sporting precisa é de um treinador excelente.

    SL

    PS – muito mais do que discutir o jogador A ou o B ou a táctica X ou Y, esforço-me por discutir as opções estratégicas no nosso Clube. E o modo como a equipa se apresentou no sábado foi para mim resultado de uma opção estratégica. Porventura a possível, admito, dadas as limitações desta equipa. O que, por si só, é sintoma do que a nossa equipa (não) vale.

  3. Sergio diz:

    Então com isso quer dizer que aqui há uns anos, quando o Iordanov fez um jogos a central, o Sporting não jogava em 4-4-2 como parecia em campo, mas sim em 3-4-3, dado que o Iordanov, apesar de jogar a central, era ponta de lança, e portanto contava como avançado e não como defesa. É isso que posso concluir quando diz que jogámos em 4-4-2, porque tínhamos dois pontas de lança e quatro médios, e o posicionamento deles não interessa nada. Isto sim é uma aberração.

    Admito que não goste da abordagem táctica ao jogo, mas sinceramente para mim foi a abordagem correcta tendo em conta o jogo. É óbvio que não temos melhor equipa que o Porto. O Porto está num grande momento e ainda há pouco tempo derrotou o Benfica por 5-0, não podíamos jogar à Kamikaze, só porque somos o Sporting e tempos de jogar sempre ao ataque. Acho que jogámos ao ataque qb.

    O que falhou foi a atitude no início da segunda parte, e depois falhou a abordagem da equipa à vantagem numérica. E aqui incluo o treinador, que ainda não aprendeu que não é a jogar só com avançados que ataca muito, se bem que também não tinha muito mais opções, a entrada do Saleiro, foi para mim despropositada.

    SL

  4. Pedro Rosado Silva diz:

    E por essa ordem de ideias o que dizer da forma como acabámos o jogo em Coimbra com Carriço, Polga, Pereira, Evaldo, Torsi, Zapater, Santos e Mendes na mesma equipa.

    É óbvio que aquilo era uma reacção ao Porto, sendo que de próprio tinha pouco. Não era um 4-4-2, mas também não era um 4-3-3. Eram 7 a defender atrás do meio-campo e 3 a fazer pressão alta (salvo raros momentos em que se lhes juntava o André Santos). Valeu a entrega para disfarçar a pouca ambição e a confusão.

    O resto, é genético. PS, age em reacção e não por antecipação o que mais que nos fazer perder pontos, impede-nos de lutar por eles.

  5. LionLion diz:

    Que merda de site é este?????? Para vôces… ser Sporting é criticar tudo o que é feito dia após dia??
    Isso para mim é ser o mais puro dos Lampiões!!
    Vão se encher de sangue e levar no real buraco do cu!!!

  6. Verdão diz:

    Quando a blogosfera toda critica tudo o que se faz, este LionLion lembrou-se logo de vir aqui ao Ser Sporting insultar.
    Ódios de estimação de gente de cabeça perdida que já não sabe o que fazer ou que pensar senão concentrar as suas energias em quem ousou candidatar-se por um Sporting diferente do actual.
    Há que ter paciência Francisco, vão aparecer muitos mais mostrando semelhante delicadeza a esse pobre espírito atormentado que se diz Leão a dobrar.
    Abraço de Leão,
    Verdão.

  7. Pedro Silva diz:

    Falando em nome estritamente pessoal, o que aqui acontece é haver pessoas que pensam pela própria cabeça independentemente da vitória ou da derrota.
    Pessoas que pensam o Sporting sem seguidismos ou vénias ao discurso oficial emanado pelo politburo.
    O que é também tristemente verdade é que o tempo se tem encarregue de lhes dar razão.

Leave a Reply

Panorama Theme by Themocracy