Ovos e omoletes…

Francisco Santos Ferro, 23 de Julho de 2010 6:00

Numa altura em que poderá voltar a estar na agenda Sportinguista a famosa reestruturação financeira do Grupo Sporting, urge abordar esta questão.

A suposta falta de ovos para poder fabricar omoletes ao nível dos nossos concorrentes transformou-se no típico argumento para atenuar o mau desempenho desportivo das últimas épocas da equipa de futebol profissional, e na principal razão para se proceder a uma “restruturação financeira” em todo o Grupo Sporting.

Contra este argumento jogam outros dois que deveriam fazer reflectir os Sportinguistas, e que os levaria ao cerne da questão:

  1. Outros clubes (SAD’s) fazem melhores omoletes com menos ou piores ovos (Braga) ou omoletes praticamente equivalentes com ainda menos.
  2. Porque é que não temos outros ou melhores ovos para fazer omoletes. Ou seja, porque é que a Sporting SAD, é “pobre”.

O primeiro ponto aponta claramente o dedo à deficiente gestão desportiva, enquanto que o segundo aponta para razões ainda mais profundas, de um total desequilíbrio de exploração crónico no nosso Clube, na Sporting SAD e, pelo que é conhecido, em todo o Grupo Sporting.

Responsáveis, existem? Fica a pergunta.

Fazendo uma simples conta de merceeiro com base quase exclusiva na informação oficial disponível, chegamos à conclusão que, desde a entrada em funções dos novos Órgãos Sociais do SCP e consequentemente de uma nova (entretanto profundamente remodelada) administração na Sporting SAD, ou seja, desde Junho de 2009, foram já gastos (sem contar com comissões de intermediação ou outras despesas habituais como direitos de imagem) no reforço da equipa profissional 27,5 milhões de euros, assim distribuídos:

  • Jaime Valdez – € 3,0M – 29 anos
  • Nuno André Coelho – € 1,0M – 50% do passe - 24 anos
  • Marco Torsiglieri – € 3,4M – 90% do passe – 22 anos
  • Evaldo – € 3,0M – 90% do passe – 28 anos
  • Maniche – € 0,0M (não oficial) – 32 anos
  • Equipa técnica – € 0,6M
  • Sinama-Pongolle – € 6,5M – 25 anos
  • João Pereira – € 3,0M – 26 anos
  • Pedro Mendes – € 1,5M (não oficial) – 31 anos
  • Liedson (prémio de renovação) – € 1,9M – 32 anos
  • Matias Fernandez – € 3,6M – 24 anos

Será que todos estes ovos não serão suficientes para bons cozinheiros fazerem uma omolete em condições?

De todo este investimento considero que apenas será possível o retorno financeiro nos quatro jogadores assinalados, que representam apenas 40% do valor total apresentado. Ou seja, foram investidos em 13 meses 16,5 milhões de euros no reforço da equipa de futebol profissional, os quais têm o único objectivo do retorno desportivo no curto prazo.

O até agora fraco desepenho desportivo de Sinama-Pongolle tem um peso enorme neste análise, mas parece-me correcto considerar que, apesar de ser ainda bastante jovem, no actual panorama é tudo menos provável que com este jogador venha a ser realizada uma mais-valia.

O reforço da equipa com jogadores de maior idade tem sido na generalidade bem aceite pela maioria dos sócios e adeptos como forma de colmatar outra fraqueza habitualmente apontada á equipa: a falta de “maturidade”, por outras palavras, de “experiência”.

Ora, apesar das entradas de jogadores com vasta experiência como Pedro Mendes, Maniche ou até Valdés, não podemos ignorar a saída de Moutinho (seis épocas e cerca de 250 jogos oficiais), a contratação de jogadores mais jovens para ocuparem as posições dos experientes Abel, Tonel e Polga, ou o afastamento de Marco Caneira.

Ou seja, é bastante discutível se, com estas “trocas”, realmente a equipa ganha em experiência e maturidade. Tal como é, na minha opinião, falacioso apontar esta falta de experiência competitiva como uma das causas do insucesso desportivo.

Contrariamente à opinião da (provável) maioria, não consigo estar especialmente entusiasmado com a estratégia seguida. É uma aposta com poucas possibilidades de retorno futuro, e estará altamente dependente do trabalho que a mais importante contratação – a nova equipa técnica – consiga desenvolver.

Não vislumbro em torno do futebol profissional uma estratégia de futuro, sustentada, nem vejo sequer que a equipa tenha dado, com todo este investimento, um salto qualitativo suficiente no que toca às suas possibilidades de lutar pelo título nacional.

Em contrapartida, estamos hoje e estaremos num futuro próximo bem mais pobres, porque mais endividados. E já sabemos que quem tem pago a factura não tem sido a Sporting SAD, mas sim o Sporting Clube de Portugal. É o que tem acontecido, e continuará a acontecer, até o Clube já não ter como a pagar.

Saudações Leoninas.

 

Nota: o meu reconhecimento a quem muito antes de mim chamou a atenção para esta perspectiva.

11 Responses to “Ovos e omoletes…”

  1. Alexandre Paiva diz:

    Que bela gestão desportiva,com compras duvidosas e outras sem razão aparente.Em contrapartida andámos a fazer ovos para os outros fazerem as omoletes,casos do Silvestre Varela e mais recente de Emídio Rafael,defesa esquerdo, formado em Alvalade desde os escolinhas e agora levado para o Porto,enquanto nós demos 4 milhões de € por Grimi.
    É caso para perguntar ao grande gestor Bettencourt qual a racionalidade desta troca.

  2. António Barros diz:

    E falar sobre a bela vitória desta madrugada, não?

  3. ultra diz:

    E bom que se diga a verdade e o sr.Alexandre nao esta a ser serio qualquer desses 3 casos que fala o JEB nao tem responsabilidade pois quem comandava o futebol nessa altura era Miguel Ribeiro Teles e Pedro Barbosa por isso nao mintam as pessoas nao deve haver mentirosos entre Sportinguistas.

  4. Francisco Santos Ferro diz:

    Caro ultra, sem querer fazer de advogado de defesa de quem quer que seja, Miguel Ribeiro Telles e Pedro Barbosa eram duas das mais importantes pedras do projecto de continuidade de José Eduardo Bettencourt apresentado aos sócios.

  5. Alexandre Paiva diz:

    Só hoje li a notícia na qual o ilustre consócio afirma que eu não era sério. Pergunto-lhe se sabe o tempo exacto que José Eduardo Bettencourt está dentro do Sporting.Desempenhou vários cargos,desde administrador delegado da SAD e por consequente intimamente ligado e responsável do Futebol do clube,”irmão de sangue” de Ribeiro Telles,etc,etc etc.
    Não nos queiram atirar areia para os olhos,dizendo que JEB não tem responsabilidades do passado, como fazendo-nos crer que ele só agora é que pode interferir nos negócios do Sporting.Ele sabe muito e muito mais do que se passa e passou no nosso clube.Por favor sr. Ultra pense e repense e não se deixe enganar.A mim ele não me engana e nunca me enganou.

  6. JEB FOREVER diz:

    Mister Alexandre,
    caga nisso que este ano o Braga está fraquinho! Este ano o 3º lugar é nosso! Vamos conseguir, já se nota futebol para isso, somos o clube com maior número de médios defensivos, mandamos as maçãs podres com os porcos…até o Postiga já faz golos…quem é que nos para.

  7. [...] contrapartida, gastou cerca de € 26.500.000 (descontando o valor pago por Nuno André Coelho) no reforço da equipa profissional, aos quais [...]

  8. [...] 2,75 M.€ por ano. Ou seja, 10% do investimento realizado em jogadores nos últimos meses !!! Ver aqui… Outra opção seria investir este dinheiro em jogadores e galopar em direcção a um passivo [...]

  9. [...] para podermos contratar Paulo Sérgio por € 0,6 M, se pensarmos que nos últimos 16 meses gastámos perto de € 30 M na aquisição de jogadores, facilmente verificamos que a inferioridade exibicional e de resultados [...]

  10. [...] devida altura (ver aqui), levantei sérias dúvidas sobre esta [...]

Leave a Reply

Panorama Theme by Themocracy