Category: Finanças

O (falso) problema de tesouraria

By João Mineiro, 18 de Fevereiro de 2010 6:51

O Grupo Sporting tem um problema de tesouraria? Seguramente que sim, frequentemente utilizado nos últimos anos como justificação para a alienação de património. No entanto a tesouraria não está na génese da situação financeira do Sporting, aliás, os desfasamentos mais ou menos prolongados entre e entrada e saída de dinheiro fazem parte do negócio “desporto”, mais concretamente do futebol.

A montante do problema de tesouraria encontra-se sim um défice crónico de exploração ao qual se junta o brutal peso dos juros. Porém, se os juros são muitas vezes apontados como culpados, não me recordo de até hoje ser discutido o défice de exploração, antes pelo contrário – de forma regular são feitos pedidos para que se aumente o orçamento do futebol com o objectivo de aumentar os resultados desportivos e consequentemente as receitas.

Como tal, pretendo durante as próximas semanas discutir as “dores” financeiras do nosso Sporting, começando pelo diagnóstico, e não pela terapêutica como habitualmente sucede. Por esta ordem então abordarei:

- O défice de exploração anual
- O peso dos juros
- O ponto de sobrevivência no défice de exploração
- Gerar receitas!
- Reduzir custos!
- Os ciclos exógenos e endógenos de construção da demonstração de resultados
- O Passivo: composição
- O Passivo: soluções
- O futuro da SAD
- O futuro do Grupo Sporting e do Clube

No final espero ter demonstrado que não existe nenhuma fórmula mágica para devolver o Clube aos sócios. Apenas um conjunto de medidas pensadas, razoáveis, e desenvolvidas ao longo de 4 a 6 anos poderão voltar recuperar as nossas finanças e, consequentemente, a nossa capacidade de investimento.

Saudações Leoninas !

Panorama Theme by Themocracy