Modalidades – Resultados

Mário Marçal, 20 de Fevereiro de 2010 19:03

O Sporting apurou-se para os Quartos-de-Final da Taça de Portugal de Futsal, ao derrotar o Rio Ave por 3-1, em jogo disputado em Vila do Conde.

sportingfutsalOs golos leoninos foram apontados por Deo, Divanei e Café.

Já em Ténis de Mesa, o Sporting venceu fora de portas o Novelense por 4-3, uma vitória importantíssima que veio cimentar o primeiro lugar da equipa verde e branca na classificação.

Parabéns a ambas as secções!

A era Roquette e as modalidades – Parte II

Mário Marçal, 20 de Fevereiro de 2010 5:19

Nesta segunda parte da crónica, irei-me debruçar sobre duas das principais modalidades do nosso clube: o Andebol e o Futsal.

Tanto em uma como em outra modalidade, o Sporting tem um palmarés vasto, recheado de títulos nacionais. No entanto, é com alguma preocupação que vejo as últimas épocas destas duas secções. Apesar de conhecer pessoalmente muitas pessoas ligadas a ambas e de ter plena confiança no seu trabalho, não posso ficar alheio à ausência de títulos. No Andebol, o Sporting não conquista um campeonato nacional desde a época 2000/2001 (apesar de ter dois títulos no palmarés relativos às épocas 2004/2005 e 2005/2006, lembro que o Sporting não disputava o principal campeonato). Temos tido bons plantéis, mas os resultados não têm aparecido.

No Futsal, não conquistamos o campeonato desde 2005/2006 e não temos conseguido impedir que o nosso principal rival se aproxime de nós no número de títulos conquistados, apesar de ser uma modalidade mais recente no clube da freguesia de Carnide.

Existem algumas condições que explicam esta ausência de títulos, desde orçamentos mais reduzidos à ausência de um pavilhão. O pavilhão é, a meu ver, essencial para o sucesso das nossas modalidades e a base para trazer de volta a paixão e a mística do Sportinguismo aos sócios e adeptos do Sporting.

Mas há um factor que na minha opinião tem contribuído e muito para o insucesso das épocas desportivas. E esse começou no futebol e tem-se alastrado a todo o clube: a falta de cultura de vitória. Basta olhar para as declarações de presidentes e dirigentes que passaram (e estão ainda) no nosso clube e descobre-se uma falta de exigência que não é digna do Sporting Clube de Portugal. O Sporting foi um clube ganhador, tem de ser um clube ganhador e terá de continuar a sê-lo no Futuro, foi esse o legado e desejo dos nossos fundadores e é essa a vontade de todos os sportinguistas.

Não podemos andar a falar constantemente de orçamentos, a menosprezar-nos em frente a outros e a encontrar desculpas para os nossos insucessos, tomando uma atitude de resignação. Basta! Temos de pensar que somos um clube grande e com vasto historial, que o caminho para o futuro só pode ser um: a vitória.

O Sporting precisa de sangue novo na sua estrutura, de uma injecção de exigência e de rigor. Se os Sportinguistas estão sedentos de vitórias, como querem voltar a unir a família Sportinguista se a mensagem passada é a oposta?

Eu quero um Sporting ganhador de volta. Quero voltar a dizer com brio e orgulho que sou da maior potência desportiva nacional. Quero ver de novo um estádio e pavilhão cheios a festejarem campeonatos nacionais. Mas, para isso, é preciso mudança. Temos de virar uma página na nossa história e reconhecer que o projecto Roquette falhou.

O Sporting tem de ser devolvido aos sócios! Reergue-te, Sporting!

A era Roquette e as modalidades – Parte I

Mário Marçal, 18 de Fevereiro de 2010 15:59

Já lá vão quinze anos desde que algumas modalidades do Sporting Clube de Portugal foram extintas. Foi em 1995 que o Voleibol e o Hóquei Patins deixaram de ser praticados no nosso clube. Posteriormente, mas ainda no mesmo ano, foi deixada à responsabilidade dos sócios a escolha de outra modalidade a ser extinta. Entre o Andebol e o Basquetebol, foi esta última a modalidade que acabou por desaparecer.

Este foi um dos primeiros golpes desferidos nos Sportinguistas que, a pouco e pouco, foi matando aquilo que é a essência de um clube desportivo: a paixão. Onde anda o fervor Sportinguista de outrora? A ida à Nave de Alvalade seguida da ida ao estádio? Desapareceu. E não foram os sportinguistas que se desinteressaram das modalidades, foram as direcções eleitas desde 1995 que contribuíram para o declínio das modalidades do nosso clube. Para além da já referida extinção de algumas modalidades históricas do Sporting, a inexistência de um pavilhão desportivo é algo inadmissível para a grandeza do nosso clube. Há quem tente tapar “o sol com a peneira”, argumentando que foram os sócios que preferiram um estádio maior a ter um pavilhão. Não corroboro essa opinião. Acho impensável projectar-se um novo estádio e não ter essa situação acautelada. Nada me impede de acreditar que esta foi a jogada perfeita para fazer do Sporting um clube de futebol.

Como nos podemos orgulhar de ser o segundo clube do mundo com mais títulos conquistados, quando vamos criando condições para o deixar de ser?

Centrando-me nas três modalidades extintas, vou aproveitar o que resta desta crónica para levantar algumas questões que me causam algum embaraço e que me custa aceitar.

O Sporting conquistou cinco títulos nacionais de Voleibol, sendo que três deles foram em 1991/1992, 1992/1993 e 1993/1994. Por curiosidade, o Sporting venceu a Taça de Portugal em 1994/1995. Posto isto, qual o fundamento para extinguir uma modalidade que estava no seu auge, sendo detentora de um troféu e tricampeã nacional na época transacta?

Porquê acabar com o Basquetebol, se foi no nosso clube que despontou o melhor jogador português de todos os tempos?

Como pode o Sporting não ter uma equipa sénior de Hóquei em Patins, sendo esta a modalidade que mais títulos internacionais deu a Portugal e um dos desportos com mais prestígio e tradição no nosso país? Não haverá espaço no nosso clube para uma modalidade que fez do Sporting Campeão Europeu em 1977, nos deu três Taças dos Vencedores das Taças e uma Taça Cers, honrando o Sporting na Europa?

Gostava que alguém um dia me respondesse, fundamentadamente, a estas questões.

O que eu sei é que uma das bandeiras do Sporting é o ecletismo. E essa bandeira não está desfraldada como devia estar. Está a meia-haste.

Panorama Theme by Themocracy